O que é o endométrio fino ou atrófico

endometrio-atrofico_20411_l

Endométrio fino ou atrófico ou Síndrome de Asherman como o próprio nome diz é quando a parede do endométrio está muito fino. Um endométrio ideal para a implantação é de no mínimo 8mm.

Vamos compreender melhor com as informações abaixo extraída do site vidabemvivida.com :

É a degradação do endométrio (camada interna do útero que descama mensalmente, quando não ocorre a implantação do embrião), tornando as paredes uterinas com aderências fibrosas (sinéquias intrauterinas) e com cicatrizes que podem levar à infertilidade feminina. Normalmente, as aderências não são vasculares, o que tem grande importância para o tratamento. A maior dificuldade de engravidar das mulheres que sofrem dessa alteração é manter o bebê nas paredes uterinas feridas, com isso a taxa de abortamento é muito maior.

Causas

São diversas causas que podem causar a síndrome de Asherman, entre elas:

  • tratamento contra o câncer usando a radioterapia pélvica;
  • curetagens uterinas;
  • abortos espontâneos que deixaram parte da placenta no interior do útero;
  • dilatação uterina causada por abortos espontâneos;
  • dilatação uterina por causa dos partos;
  • após o parto a retirada de forma errada da placenta, deixando partes dela dentro do útero;
  • cirurgias para retirada de miomas uterinos;
  • doença inflamatória pélvica.

Sintomas

Os sintomas são diferenciados pelos níveis da síndrome de Asherman, que falaremos a seguir. Em muitos casos as mulheres têm:

  • escassez ou ausência de menstruação;
  • dores no período menstrual sem a presença de sangue;
  • abortamentos;
  • infertilidade.

Tratamentos

Os tratamentos para a síndrome de Asherman são, normalmente, intervenções cirúrgicas que retiram essas aderências e cicatrizes intrauterinas, por histeroscopia cirúrgica. Após a cirurgia, o tratamento adjuvante com estrogênio e repetição da histeroscopia diagnóstica em cerca de 4 a 8 semanas, diminui a chance de formação de novas aderências, melhorando o resultado.

Em casos mais avançados, muitas vezes essas conexões e cicatrizes podem voltar mesmo com o tratamento hormonal. Nesses casos, podemos utilizar um balão intrauterino temporário para que as paredes intrauterinas não se juntem novamente. Normalmente, isso acontece quando a síndrome de Asherman está no grau 4. Vale ressaltar que atualmente não utilizamos dispositivos intrauterinos (DIU) para evitar aderências após a cirurgia, já que não há evidência científica para isso.

Qualquer problema de saúde deve ser visto de forma responsável. Independente do que seja, procure sempre um médico para auxiliar os seus tratamentos. No caso da síndrome de Asherman que tem um tratamento mais delicado, a solução para que não haja mais problemas para engravidar é procurar sua clínica de reprodução humana e seguir as indicações profissionais. Se você já sofreu desse mal ou está com dificuldades para engravidar, deixe seu comentário no post contando sobre as suas dúvidas e experiência.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s